Artigos publicados na Categoria 'Teatro'

out 10 2008

Tecnologia marítima nos primórdios do teatro romano

Publicado por em Teatro

Da Marinha, o teatro romano herdou além do velarium que cobria o público, o siparium, cortina da boca de cena que, ao invés de subir no início do espetáculo, descia, revelando primeiro a cabeça dos atores, indo até abaixo do piso do palco. No final do espetáculo a cortina subia, fazendo desaparecer o ator dos […]

3 comentários

out 09 2008

Santo Agostinho em defesa do teatro

Publicado por em Teatro

Velarium Uma das grandes transformações nos edifícios teatrais herdados da Grécia foi criada pelos romanos que resolveram cobrir os teatros com um velarium, para defender o público do sol e da chuva. E convocaram a Marinha, porque somente marinheiros – nos mares ou na terra – conheciam técnicas de cobrir grandes espaços com tecidos e […]

3 comentários

out 03 2008

Gesamtkunstwerk: a ópera de Richard Wagner

Publicado por em Música,Teatro

Para Richard Wagner a ópera é uma Gesamtkunstwerk: gesamt é reunida, total; kunst é arte e werk é obra. Uma obra de arte total, onde deve ser restaurada a unidade perdida da poesia, da música e da dança em um só espetáculo. Ele escreve: E isto deve ser realizado sobre o modelo da tragédia grega. […]

3 comentários

set 30 2008

A relação hierárquica e harmoniosa de elementos de encenação

Publicado por em Teatro

A encenação não é sempre a união de todas as artes, como na tragédia grega ou na ópera, mas uma justa relação hierárquica entre os diferentes meios de expressão. O elemento primeiro e fundamental é o ator, pois sem ele o drama não existirá. É sua ação que deverá modelar o espaço teatral em torno […]

2 comentários

set 24 2008

A exatidão e a inabalável certeza bachiana

Publicado por em Teatro

Considerando o aspecto matemático da obra de Johann Sebastian Bach e seu poder lírico e transcendental, a Paixão segundo São Mateus não parece ser a obra que mais facilmente inspiraria uma revolução criativa (cênica, sobretudo) como a que atingiu o encenador Gordon Craig, que foi quem criou os cenários e dirigiu o espetáculo. Se, por […]

Nenhum comentário

set 16 2008

Bob Wilson e seu teatro de “visões”

Publicado por em Teatro

Peer Gyant 1. Direção de Bob Wilson Poeta plástico, cenográfico (gráfico – que pratica o teatro com todos os elementos visuais criados por ele mesmo e mais os seus elementos sonoros). É um teatro feito de “visões” que transcorrem lentamente, com propostas insólitas, belas e poéticas. Tais visões desafiam nosso tempo interior e nos conduzem […]

3 comentários

set 09 2008

O batismo de Gordon Graig em Moscou

Publicado por em Teatro

Foi Isadora Duncan quem recomendou um homem do teatro que ela amava, a Stanislavsky, Diretor do Teatro de Arte de Moscou. Gordon Craig, o ator inglês, filho de uma atriz, Ellen Terry. Ele havia representado sete vezes na Inglaterra, o Hamlet de Shakespeare. Com tal recomendação, não pelo que já havia realizado, mas pela credibilidade […]

2 comentários

set 03 2008

O teatro de Louis Jouvet

Publicado por em Teatro

É sempre Louis Jouvet, diretor teatral mais sábio que erudito e excelente ator do teatro francês, quem nos revela o teatro. São inúmeros seus ditos transformados em citações constantes pelos homens do palco. É dele a afirmação de que os homens do palco são servos da imaginação do poeta e prestam o serviço mais nobre […]

Um comentário

ago 27 2008

Os primeiros camarins da história e a criação da Cenografia

Publicado por em Teatro

Bosques Gregos No início, em 600 antes de Cristo, os atores iam trocar de indumentária no próprio bosque além do palco, atrás das árvores. Fato que distraia a atenção do público. Decidiu-se então construir uma tenda que seria o primeiro camarim da história. Tenda em grego é ‘skene’. Mas a porta desta ‘skene’ sendo no […]

3 comentários

ago 22 2008

O força de Eurípides em tempos contemporâneos

Publicado por em Teatro

Alceste de Eurípides Uma professora de ensino básico procurou um professor do Departamento de Artes Cênicas da ECA e perguntou se seria possível que este fizesse uma palestra para seus alunos sobre o teatro grego. Ela estava ensaiando alunos para a representação de ALCESTE de Eurípides. Claro que sim, ele gostaria de fazê-lo. Mas queria […]

Um comentário

« Prev - Next »