Artigos sobre 'História da Arte'

nov 05 2008

Evolução Teatral: dos mosteiros alemãos e conquistas territoriais ao futuro renascentista da Mandrágora de Maquiavel

Publicado por em Teatro

No momento da construção do primeiro mosteiro, os primeiros santos estavam sendo canonizados e uma solitária e culta monja alemã – Hroswitha de Gandersheim – escrevia uma peça teatral litúrgica e reinventava a dramaturgia a partir de Sêneca*. Enquanto isso, a ordem beneditina encenava pelas ruas da Europa católica o Drama do Cristo Rei. As […]

Um comentário

out 16 2008

Theatrum Sacrum: a apoteose da alma pela arte Barroca

Publicado por em Teatro

Arte barroca mineira de Ataíde – Igreja de São Francisco de Assis O Barroco pretende a alma em apoteose. Apesar de ser o Barroco uma idéia pré-concebida em um Concílio da Igreja Romana, ele se conserva como forma ideal para os artistas de sempre, os que acreditam ter a existência humana apenas uma finalidade: glorificar […]

2 comentários

out 09 2008

Prof. Cyro del Nero apresenta “História da Antiguidade; 50 Anos de Visita A Grécia”?

Publicado por em Cursos

O Prof. Cyro del Nero estará participando do Fórum Arte Contemporânea e suas Interfaces com o tema História da Antiguidade: 50 Anos de visitas a Grécia. O fórum se dará nos dias 15, 22 e 29 de Outubro de 2008 das 9h00 às 12h00 na sala Sala 22 – Departamento de Relações Públicas, Turismo e […]

Um comentário

out 03 2008

Gesamtkunstwerk: a ópera de Richard Wagner

Publicado por em Música,Teatro

Para Richard Wagner a ópera é uma Gesamtkunstwerk: gesamt é reunida, total; kunst é arte e werk é obra. Uma obra de arte total, onde deve ser restaurada a unidade perdida da poesia, da música e da dança em um só espetáculo. Ele escreve: E isto deve ser realizado sobre o modelo da tragédia grega. […]

3 comentários

set 24 2008

A exatidão e a inabalável certeza bachiana

Publicado por em Teatro

Considerando o aspecto matemático da obra de Johann Sebastian Bach e seu poder lírico e transcendental, a Paixão segundo São Mateus não parece ser a obra que mais facilmente inspiraria uma revolução criativa (cênica, sobretudo) como a que atingiu o encenador Gordon Craig, que foi quem criou os cenários e dirigiu o espetáculo. Se, por […]

Nenhum comentário