abr 14 2009

A história dos objetos na cenografia

Publicado por às 20:14 em Teatro

vic_27-cenografia

Os objetos de cena sempre foram definidos pelo diretor em união com o trabalho do cenógrafo que então vai definir volumes e cores e, sobretudo locais onde estes deveriam estar.

Foi Antoine no século XIX quem recusou objetos pintados e truques ilusionistas exigindo objetos reais, materiais trazendo sinais de sua existência anterior, de um passado reconhecível e táctil.

Efeitos sim, mas verdadeiros. Antoine nos revelou a teatralidade do real. Entretanto em grandes escalas isso não é possível. Por exemplo, as ondas fictícias do rio Reno em encenação de Bayreuth sob a direção e a cenografia de Wieland Wagner. Foi a luz que fez o rio mover-se. Nem uma gota do próprio entrou no palco, naturalmente.

hes-talking-production-photos-0551-cenariocenario
Mas Antoine foi mais longe. Colocou carne crua pendurada no palco no espetáculo Os Açougueiros em 1888. Um pouco ingênuo disseram. No espetáculo moderno que foi A Casa de Chá do Luar de Agosto havia uma rubrica solicitando um Jeep no palco. Mas o compromisso dessa teatralidade do real é muito grande.

Muitas vezes é disfarçada a falta de importância do objeto de cena pintando-o apenas. Se você o pintar ele não sairá da parede. Mas se você coloca na parede de um cenário uma vistosa e real espingarda, é necessário que um ator dê um tiro no segundo ato.

oidipous-mikro-cenario

Por Cyro del Nero

6 comentários

6 comentários to “A história dos objetos na cenografia”

  1. Norma Limaon 21 maio 2009 at 23:31

    Olá Professor Cyro, que maravilha este blog.
    Sou pesquisadora, me interessa a sua participação com Lívio Mangani, na Rodhia.
    Se puder me dar um retorno, ficarei muito grata.
    Obrigada.
    limaescrita@yahoo.com.br

  2. christianon 22 jul 2009 at 14:19

    professor, um grande abraço!
    fui seu aluno na usp…em cenografia!
    fiz o cérebro que se abria…..para a peça de édipo rei

    espero que escreva mais no blog…
    seu conhecimento é muito enriquecedor…
    um abraço
    Christian

  3. Kárcio Sángeleson 30 ago 2009 at 20:17

    Acesse: http:\\palcodamente.blogspot.com

  4. mercia pereiraon 12 set 2009 at 17:28

    Olá professor, Ficamos muito felizes em saber que a sua grandiosidade artistica fará parte do nosso espetáculo ” A Paixão de Cristo- edição 21, 2010- em Piracicaba. Bem-vindo. Mércia Pereira.

  5. Michelleon 20 abr 2010 at 14:04

    Olá Professor Cyro, que maravilha este blog.
    Sou pesquisadora, me interessa a sua participação com Lívio Mangani, na Rodhia.
    Se puder me dar um retorno, ficarei muito grata.
    Obrigada.
    limaescrita@yahoo.com.br

  6. Claudia Amorimon 31 jul 2010 at 21:31

    Gostaria de demonstrar meus sentimentos aos familiares do Cyro, meu pai quando morreu trabalhava com ele e tinha muita afeição por sua pessoa, ele chamava Bene, faleceu em 14 de agosto de 1997, nesta temos até uma fita do aniversário de meu filho de 01 ano em que Cyro participou….Que Deus de o conforto aos seus corações neste momento que sei é de muita dor…..

Trackback URI | Comments RSS

Deixe um comentário